31 maio 2008

Brilho, tecnologia e conforto!

CASA COR SP 2008 - AS TENDÊNCIAS DA MOSTRA MAIS AGUARDADA DO BRASIL

A automação de ambientes foi o ponto alto da mostra: deques motorizados, bancadas multiuso que se transformam sob o comando do controle remoto, cozinha com identificador de temperos e tela de LCD com receitas, ... todos eses itens aliados ao luxo do dourado (nova tendência!), cristal e swarovski.
As estampas, adesivos, grafite, tecidos e papel de parede também marcaram presença!
Quanto as cores, os tons neutros dominaram: branco, bege, cru, preto e cinza. As luminárias ganham cada vez mais destaque e aparecem gigantes.



Quarto do casal - Toninho Noronha - poltrona em couro dourado e mesa de latão em formato de diamante lapidado, além da luminária folhada a ouro.

"Luxury Pure" - Ingo Maurer



Casa Dourada - Brunete Fraccaroli - piso em porcelanato dourado




Antiquário - Márcio Michaluá - peças em cristal Baccarat assinadas por Philippe Starck


Detalhe do lustre em cristal negro de Philippe Starck



Estar Piscina - Korman arquitetos - deque motorizado e lustres com casulos


Detalhe do lustre com casulos de bicho da seda



Loft do bebê - Consuelo Jorge - bancada com cuba/ banheira e trocador que desliza sob comando do controle remoto



Cozinha - Simone Goltcher - automação total



Lavanderia - Cristina Bárbara e Milena Purchio - high tech



Estúdio do jovem - Mariana Albuquerque e Guilherme Ommuundsen - adesivos e peças articuláveis



Quarto do adolescente - Marí Aní Oglouyan - grafite nas paredes e pastilhas inox



20 maio 2008

New Design!

Digit high standing lamp, by Emmanuel Babled




Papyrus, by Ronan & Erwan Bouroullec

ré-trouvé collection, by Patricia Urquiola




Stackable chair, by Patricia Urquiola


Lot sieger design



Kuddelmudde, by Tobias Reischle



Missoni chandelier

Luxor, by Giulio Cappellini




sos, by Josh Owen





clip chair e clip table, by Blausius Osko & Oliver Deichman



lizz, by Piero Lissoni




hanger chair, by Philippe Malowin




caprice, by Philippe Starck





ami ami, by Tkujin Yoshioka



buddy, by Ferruccio Laviani





campo arato, by Paolo Pallucco

16 maio 2008

Brinquedo de gente grande!





















Quem disse que os adultos não sabem brincar?





Há uma nova tendência na arte contemporânea em utilizar bonecos na decoração. Eles vão desde personagens de quadrinhos e celebridades até "bichinhos" criados por grafiteiros e artistas renomados.




A toy art surgiu na década de 90 no Japão e conquista cada vez mais adeptos, que buscam uma decoração mais colorida e informal com esses bonecos engraçados e exóticos.


O Estadão definiu a toy art como:

Manifestação contemporânea que se apropria do brinquedo para mesclar design, moda e urbanidade, a toy art tem feito cada vez mais a cabeça dos adultos. O conceito, que é novo, sobretudo no Brasil, nasceu no Japão na metade dos anos 90 e logo se disseminou pela Europa e pelos Estados Unidos, arrebanhando colecionadores.
São formas que remetem a um quê infantil presente no inconsciente coletivo, com pitadas de ironia e bom humor. As peças, normalmente numeradas, podem ser de vinil (e produzidas em escala industrial) ou resultar de técnicas artesanais, feitas por jovens designers do País. É a criatividade da produção nacional transformada em brinquedos para gente grande, que ganha merecido facho de luz.




10 maio 2008

Os três mais

Através da história da arquitetura os estilos foram do simples ao rebuscado. Durante o apogeu do modernismo não se aceitava nada diferente do novo. No momento em que as máquinas dominavam os meios de produção, a estética industrial predominou. Neste meio, entre arquitetos e designers brilhantes, três tiveram maior destaque:





FRANK LLOYD WRIGHT (1867 - 1959)
  • Arquiteto americano;
  • promoveu a "Arquitetura Orgânica" - uma oposição ao "Estilo Internacional", eliminando a idéia de caixa, ampliando os espaços e trazendo o exterior ao interior;
  • tornou o espaço um elemento escultural, conectando vazios horizontais e verticais;
  • "... a realidade da construção não consiste nas paredes e no telhado da estrutura, mas no espaço interno do lugar onde se vai morar".
Casa da Cascata/ Fallingwater house/ Casa Kaufmann (nome do 1º proprietário)

Localizada em Pittsburgh, Pensilvânia, EUA, foi construída em 1936 em meio a um bosque. O destaque se encontra no fato de que foi erguida sobre uma queda d'água, utilizando os elementos presentes no meio na composição arquitetônica.
Representa o triunfo do arrojo. A rocha embutida no piso em frente a lareira é o ponto de onde todas as vigas irradiam. A cor amarela do terraço imita o tom das pedras. Uma alvenaria rústica forma a chaminé e as portas. A extensão horizontal da sacada é equilibrada por uma elevação do centro da chaminé, que sustenta a casa até a borda e reflete as quedas d'água.







Lareira


Interior da casa


Museu Solomon R. Guggenheim


Concluído em 1959, em Nova York, o museu é famoso por suas linhas curvas. O interior é um oceano de espaço coberto por um domo iluminado pelo céu.
O próprio Frank Lloyd Wright, arquiteto da obra, menciona que sua intenção como finalidade está coerente com o projeto proposto por ele, afirmando que nesse projeto trabalha-se o efeito plástico de planos flutuando sobre planos, numa sobreposição e estratificação de camadas, cortadas e colocadas uma sobre as outras, de forma a estabelecer uma outra maneira de construir que não seja aquela tradicional.



Interior do museu



LUDWIG MIES VAN DER ROHE (1886 - 1969)

  • Arquiteto alemão, naturalizado norte-americano;
  • Foi professor na Bauhaus;
  • Foi um dos formadores do "Estilo Internacional": caixas retangulares simples, ausência de ornamentos ou referências históricas, coberturas planas, paredes brancas, janelas amplas, uso de concreto+ vidro+ aço;
  • buscava a síntese da vida e da arte, uma arquitetura de "pele e osso" - espaços vazios preenchidos com vida;
  • "Menos é mais".

Pavilhão Alemão na Feira Internacional de Barcelona:

Construído em 1929, com 8 pilares de aço e um desenho em cruz grega que se tornou célebre na Arquitetura Moderna. Foi demolido após a feira e devido sua importância histórica, foi totalmente reconstruído em 1980.
A cadeira Barcelona, um ícone do mobiliário moderno, foi criada para compor os ambientes do Pavilhão, além de terem sido utilizadas como trono para os monarcas espanhóis durante sua visita a feira, por quem foi duramente criticada, consideraram-na indigna de sua posição.

Resiência Farnsworth (cidade de Plano, Illinois, EUA)

Paredes de vidro do piso ao teto e ausência de divisões internas: "É o protótipo para todas as construções de vidro", disse Mies. Segundo a proprietária, Dra. Edith Farnsworth, é o protótipo da ruína (Mies proibiu-a de acrescentar bigigangas para humanizar o espaço).
O custo total da obra foi orçado em 72.000 USD em 1951, o que equivale a aproximadamente 500.000 dólares de 2005. As despezas adicionais não previstas e conflitos pessoais entre a Dr. Edith Farnsworth e Mies levaram a um processo judicial: Farnsworth alegou que a residência era inabitável. Mies não só concordou com a afirmação como respondeu justificando o projeto como o de uma residência de férias, sendo essencialmente uma experimentação artística. Além disto, Mies conseguiu provar que Farnsworth havia aprovado seus estudos, o que fez com que van der Rohe vencesse no tribunal.
A residência é conservada até os dias atuais e já passou por duas reformas, a primeira para uma restauração e segunda, depois da inundação (o que inclusive foi prevista pelo arquiteto, que a construiu de forma elevada do solo).


A escada





Interior da casa




Inundação de 1996






LE CORBUSIER /Charles-Edouard Jeanneret-Gris (1887 - 1966)
  • Arquiteto, urbanista e pintor;
  • Origem suíça, mudou-se aos 29 anos para Paris onde adotou seu pseudônimo;
  • Acreditava no determinismo ambiental, isto é, se uma residência fosse lógica, funcional e eficiente como uma máquina, seus habitantes também seriam;
  • " Sol, espaço e verde"
  • foi precursor do pé-direito duplo;
  • " A linha reta é uma grande realização da arquitetura moderna".
Villa Savoye (Poissy - França)
Foi projetada como uma residência de veraneio para uma família francesa. A casa expõe em si os 5 pontos da nova arquitetura, propostos por Le Corbusier, para a Arquitetura Moderna:

- Planta livre de estrutura - sem divisão de cômodos, isto é, sem paredes que não possuam função de sustentação à edificação;
- Uso de pilotis - sistema de construção onde o térreo fica livre e elevado do solo;
- Terraço/jardim - evitando os telhados tradicionais, propõe a utilização da última laje como jardim;
- Fachada livre - independência das aberturas da fachada ao interior do edifício;
- Janela em fita - evita as aberturas limitadas e propõe aberturas verticais, buscando iluminação constante e homogênea.






Fachada




Interior



Pesquisa: Arquitetura Comentada (Carol Strickland) -Ed. Ediouro
Wikipedia

Você também pode gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...